terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Dialogando... Procurando apartamento na Alemanha!

Foi uma experiência que tivemos essa semana. Quero deixar claro que nem todas as pessoas aqui são assim, mas observamos que é uma forte tendência. Acredito que os latinos que moram por aqui e tem filhos desde criança no país, sabem até melhor que eu do que estou falando...
Em um contato telefônico entre meu marido e um proprietário de um imóvel, responde-se algumas perguntas, tais como: Qual a sua profissão? Onde trabalha? Tem animais domésticos? Etc. Até então, normal...
Até que:
Proprietário: Você tem filhos?
Marido: Minha esposa está grávida e nosso bebê tem previsão para nascimento no mês de agosto .
Proprietário: Olhe, me desculpe mas o local que moramos é muito calmo e esperamos que continue assim por muito tempo. Obrigado! Tchüss. Tun, tun, tun...
Como assim? Animais são permitidos e crianças não? Além do que não temos animais.
Nada contra animais, muito pelo contrário gosto muito deles. Mas acredito que aí tem alguma inversão de valores. Ou não???
Para os que desejam saber da relação entre alemas e animais, a Eve coloca dois exemplos bem interessantes.

14 comentários:

Celia na Italia disse...

July
Fica tranquila que o apartamento certo vai chegar!
Um abraço

Carol disse...

CARACA! Que bizarro! Muito doido isso! Deve ser um bairro de velhinhos etao.. hehehe

Beijinhos e boa sorte na busca do ap.

Kellyane Feitosa Link disse...

Eu e meu esposo comentamos que aqui os animais recebem um tratamento muito superior que os humanos recebem em muitos outros paises.
No Brasil, por exemplo nem todos podem ter um plano de saúde, aqui é obrigatório e assegurado por lei que seu cachorro tem que ter um seguro de saúde.

Creio que temos que respeita, amar e oferecer condicoes dignas de vida para nossos animais de estimacao, mas o que acontece muitas vezes é um exagero.

July disse...

Kellyane, muito obrigada pela informacao eu nao sabia disso. Bjs

Angela disse...

Olá July, eu tenho dos caes que trouxe do Brasil e nunca, nem em Munique onde morei 2 anos e aqui agora em Colônia, é obrigatório plano de saúde para caes. Só é obrigatório pagar imposto para cada cao. Veterinário, vacinas, etc, é por nossa conta. Quando me mudei para cá, primeiro, queríamos alugar uma casa, mas como nenhuma aceitou nossos caes, acabamos comprando uma, assim, ninguém pôde falar nada, a casa era nossa com caes ou sem. Nao entendi esta do locatário daí!.Em Munique é muito difícil alugar uma casa se vc tem caes!Logo vcs vao achar um apartamento legal. Beijos

Ma disse...

Eu tb estou procurando, mas tá difícil. Mas vc sabe que tem muitos que também não aceitam cachorros nem gatos. Famílias grande com mais de 2 crianças já é difícil e se for estrangeiro então, mais ainda. Bjs

Sandrinha disse...

Oi July!
Q história mais esquesita!
O bairro então deve ter mtos asilos....kkkkk.

Fica calma q algo de melhor tá reservado p/ vcs.

Boa sorte na procura.

Beijinhos!!!

Adriana Alencar disse...

Concordo, é uma inversão de valores, os seres humanos sempre terão prioridade. Porém, se esse prédio vê as crianças dessa forma, até é bom que tenha lhe dito logo de cara, para evitar que começassem as reclamações depois.
Beijocas
Adri

Iram M. disse...

Jully,
é claro que acredito nisso, pois se já presencei essa cena várias vezes, quando morava na Alemanha.
Isso chateia muito, amiga.
Não tem lógica, mas é o ponto de cego deles.

Não fique triste. Não vale a pena.

Beijo

Greyce disse...

Oi, July!

afff,que gente mais estranha! Mas pense pelo lado bom, pro cara ter falado isso, o apê deve ser mal isolado! bjinhos

Lucianna disse...

Aqui as coisas tb sao assim, inclusive em restaurantes... Se vc tiver crianca nao pode sentar na parte interna do restaurante, ou seja, soh pode ir la se for verao... Acho isso um tremendo absurdo, mas vai fazer o que, aqui ate onde eu saiba nao existe lei que os proiba de fazer isso...
Saco ne?!

Nilce disse...

Não é só na Alemanha July.
Tenho uma amiga que mora na Austria e que teve um bebê ano passado.
Ela tem um cachorrinho que sempre ia com ela passear.
No primeiro dia que ela saiu com o bebê e o cachorro, todos continuaram a brincar com o cachorro e nem quiseram ver o que tinha no carrinho.
Ela ficou hiper-decepcionada porque aqui no Brasil sair com um bebê na rua, todos querem ver.
Fiquei boba. rsrs
Os valores são muito diferentes.

Bjs no coração!

Nilce

Eve disse...

Ih, menina, já vi disso por aqui tb. POr isso, que se acha bairros inteiros com crianças e outros sem nenhuma por aqui.
Mas, com paciência, vcs acham um ideal.

BJs!

Ingrid disse...

Nossa fiquei bege agora! que coisa hein, nunca imaginei que isso pudesse acontecer!
Boa sorte na busca e que vc encontre logo um bom local pra morar.